Os nossos Bovinos

O nosso efetivo pecuário é constituído por animais da raça autóctone Alentejana e Aberdeen-Angus, uma aposta em duas raças de produção de carne de grande qualidade.

Atualmente, podemos ver nos pastos da herdade 80 vacas de raça autóctone Alentejana e 170 vacas da raça Black Aberdeen-Angus.

A raça Alentejana é uma raça autóctone com grande rusticidade e completamente adaptada ao nosso clima.

O Alentejo é uma zona onde predomina a grande propriedade, razão pela qual, o número médio de animais por exploração é considerado elevado, tendo as explorações grandes encabeçamentos.

Os animais são explorados, fundamentalmente, em sistemas de produção extensivos, resultado de diversos fatores de ordem climática e geográfica.

A pelagem é vermelha, podendo ir do retinto ao trigueiro, sendo os pêlos todos da mesma cor, excluídos da raça estão os animais que apresentem interpolações de pêlos.

A vocação desta raça mudou do trabalho para a carne, e com esta evolução, alterou-se também o regime alimentar assim como todo o maneio produtivo dos bovinos, originando um animal de produção de carne de grande qualidade.

A raça Aberdeen-Angus, nativa da Escócia, é uma das mais antigas do mundo.

O grande impulso da raça a nível mundial dá-se com a exportação e implementação, em 1873, da Aberdeen-Angus nos Estados Unidos da América. Em 1901, na América, já se efetuavam mais registos de animais puros do que no Reino Unido, de onde era originária a espécie, tendo hoje, a raça Angus, o maior efetivo mundial.

Tratando-se de uma raça de bovinos com grandes qualidades, a sua utilização estende-se aos cruzamentos, não só com raças de carne mas também de produção de leite, uma vez que o Angus transmite geneticamente a sua famosa facilidade de partos e reprodução, bem como a sua cor e especialidade de mocho (sem cornos).

Esta raça tem sido considerada, há muito tempo, como bovino ideal para produtor de carne, possuindo características altamente desejáveis aos criadores. Todos apreciam o seu tipo excepcionalmente bom, com as suas extremidades curtas, o corpo desenvolvido e carnoso.

A qualidade da carne apresentada pela Aberdeen-Angus constitui, sem dúvida, a principal razão pela a qual a raça tem vindo, recentemente, a crescer na sua popularidade. Mesmo que o consumidor não conheça profundamente a raça, já ouviu falar da “ANGUS” e associa-a a um produto de qualidade. É muitas vezes adjetivada como “a melhor carne do mundo”.

A precocidade, a rusticidade e o fácil acabamento, tornam a Aberdeen-        -Angus adequada a regimes de produção à base de pastagem/forragem, com a produção de carcaças com adequada gordura de cobertura, o que contribui para um melhor arrefecimento da carcaça e a maturação das peças - tenrura.

A elevada deposição de gordura intramuscular (i.e. o marmoreio da carne), típica da raça, confere-lhe sabor e grande suculência.

Todos os animais até aos 7/8 meses, são alimentados exclusivamente com leite materno, sendo depois criados em pastos espontâneos e naturais de montado de azinho e sobro.

Todo o processo, desde o nascimento até ao abate, assim como o desmanche, refrigeração, maturação e comercialização da carne, é acompanhado e controlado por uma equipa de profissionais empenhados, de forma a garantir o cumprimento rigoroso de todas as normas definidas para o setor, assim como a obtenção de produtos de excelência.

©

2018 Herdade Papa Leite | Todos os direitos reservados

Alter do Chão - Portugal